Sobre

PRISCILLA BUHR.jpg

Eu sou Priscilla Buhr, nasci em Recife em 1985, sou mãe de Artur e filha de Ingrid e José. Desde pequena sonhava em ser cineasta, queria fazer filmes sobre dinossauros - hoje tropeço em vários deles espalhados pela casa. Comecei a estudar fotografia em 2003, pensando ser um atalho para o cinema, mas logo a fotografia se tornou pulsão de vida. Desde 2005 trabalho como fotojornalista e venho pesquisando e criando projetos fotográficos autorais motivados pela compreensão e reconstrução do passado e por trajetos emocionais que atravessam a minha vida, enquanto mulher e mãe.

 

Fui fotógrafa da Fundarpe, repórter fotográfica do Jornal do Commercio e sou uma das fundadoras do coletivo 7Fotografia, desenvolvendo diversas atividades de produção, pesquisa e debate na área desde 2010. Fui ganhadora do Prêmio Brasil de Fotografia 2013 na categoria Revelação, uma das selecionadas do 10° Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia em 2019, integro o Clube de Colecionadores de Fotografia do MAMAM e participo do projeto Mira Latina.
 

Em 2010, realizei minha primeira exposição individual, com o trabalho “AutoDesconstrução”, aprovado no edital do MAMAM. O mesmo trabalho foi exposto na galeria Eulengasse, em Frankfurt, Alemanha em 2011. Expus o livro de artista “Ausländer” em 2015 na exposição “Fotos contam Fatos” com curadoria de Denise Gadelha na Galeria Vermelho, em São Paulo; em 2016, no “Projeto Tertúlia - Foto Documental” e em 2017 na exposição “rePÚBLICA” da 3ª Edição do Pequeno Encontro da Fotografia. Em 2018 participei da Exposição Coletiva Possibilidades, com curadoria de Olívia Mindelo e em 2020 da exposição “A importância do Amor” com curadoria de Júlio Cavani, ambas  na Arte Plural Galeria.